8 de outubro de 2008

Recado do Cônego

Eduardo.
Meu amigo.

De onde estiveres és vencedor.
A relação com as coisas e pessoas
não são apenas presenciais, mas também memoriais.
A tua memória e bom conselho inspiraram a intrepidez
dos que saíram por ruas, vilas, praças, botecos, becos, edu
candários diversos, lares e templos dizendo que a companheira
Milene Lauande é uma de confiança e sensibilidade na defesa
do povo que tanto defendeste.
Continuamos altivos e firmes porque o que cultivado
com ardor e ternura não passa, permanece para sempre.

Obrigado.

3 comentários:

citadinokane disse...

Queridos e queridas,
Fiquei impressionado e muito feliz com a votação da Milene, espetacular!
O velho e bom Eduardo Lauande estaria impolutamente alegre... com certeza!
abraços,
Pedro Nelito

COLETIVO SOCIALISTA REVOLUCIONÁRIO disse...

meu querido lauande.

a comunidade do orkut blogueiros paraenses, que esta no: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=54033045 esta convidando a vc no dia 22.11 a comparecer ao nosso 1. encontro de blogueiros na pizza hut doca a partir das 19 e 30.

aguardo vc la!!! Abraços!!!

Anônimo disse...

LAUANDE


Impoluto a sombra do peito ardente,
preocupado com a miséria que mata,
entusiasmado, comunista desatado,
diferente, insolente, engraçado,
meu amigo de estudos, o sociólogo.
Eduardo, de ardência, de paixão um brasileiro nato, futebolista.
Primeiro comandante do PTP, com todo o entusiasmo foi do PCB.
Morre consigo um pouco da minha história e ao lembrar seu sorriso fácil,
seu discurso cheio de vida, imagino que ele foi traído pela sociedade que tanto
queria mudar.
Caro Lauande quando soube do acontecido, imaginei que em mais uma fenda de um planeta destruído, tombou um cidadão.
Lutador preocupado com a dor do povo.
Companheiro e agora blogueiro, que sempre manifestou sua insatisfação,
com esse mundo desalmado, que correndo sem destino vai perdendo seus filhinhos, vai matando uma nação.
Onde as futilidades são mais importantes que a vida, onde a dor de mais uma bala perdida, que se encontra na vida, de um pai, de um homem de bem ou de um ladrão.
Como sabia Lauande, isso é coisa de um dândi, viver no horror dessa miséria,
onde pobre mata pobre pelo tênis, onde dizem que é um país de paz.
A violência vai além, está na saúde, no cárcere, na miséria, a educação um impropério.
Solidariedade, palavra estranha, só recorrendo a etimologia para entender seu significado algum dia utilizado, mas que já não existe mais.
Lauande que tristeza saber que tombastes pela mão da pobreza, que tanto te esforçastes para implodir.
Caro amigo e guerrilheiro, já não se faz mais companheiro como você.
Sinto saudoso sua falta e quem não tem sangue de barata, continuará a lutar.
Fico tão triste que o sistema não reconheça, a grandeza da bravura, da dignidade, da doçura, do amor e compaixão.
Essas eram virtudes de Lauande, comunista das antigas, um menino nessa vida, com um lindo coração.

Abraço. 81993427
Marco Barros em 31/07/07
Sociólogo
marco_abbarros@hotmail.com
Também amigo de Flávio e Milene do movimento estudantil / semeando